27/11/2021

Auxílio Emergencial: Nascidos em maio recebem 4ª parcela nesta quinta (22)

Aconteceu nesta quinta (22), o depósito das parcelas do auxílio emergencial para os beneficiários nascidos em maio. Os valores para os cerca de 2,5 milhões de trabalhadores informais inscritos no programa já podem ser movimentados pelo aplicativo Caixa Tem até o dia 9 de agosto, quando o saque será liberado.

A nova rodada do auxílio, que previa quatro parcelas, foi prorrogada com mais três pagamentos e acontecerá até outubro. O pagamento médio continua de R$ 250, exceção às mulheres chefes de família, que recebem R$ 375, e as pessoas que moram sozinhas, R$ 150.

A expectativa do governo federal é ganhar tempo para o avanço da vacinação contra a covid-19, além de preparar uma ampliação do programa Bolsa Família, com pagamentos no valor de R$ 300. Os beneficiários do Bolsa Família com o NIS – Número de Identificação Social, final 4, também recebem hoje, a quarta parcela do auxílio emergencial.

A liberação dos recursos segue o calendário do programa assistencial, realizado sempre nos dez últimos dias úteis de cada mês, de acordo com o número final do NIS. O pagamento segue até o dia 30, para os que têm o NIS final 0.

Contestação: Prazo vai até este sábado (24)

Quem teve o auxílio emergencial 2021 cancelado na revisão mensal de julho tem até este sábado (24) para contestar a decisão. O objetivo é permitir que essas pessoas tenham uma nova análise com bases mais atualizadas de seus dados.

Mensalmente os CPFs dos beneficiários passam por análises para conferir se atendem aos critérios previstos na lei para continuar recebendo a ajuda financeira. Os bloqueios são feitos de forma preventiva. Posteriormente, é definido pela liberação ou cancelamento do benefício em definitivo. Não há prazo definido para divulgação do resultado.

Quem teve o pagamento suspenso deve fazer o requerimento pelo site do Ministério da Cidadania, clicando neste link. Os pedidos de contestação só serão concedidos em contextos específicos, como atualização de dados para cumprir as exigências da medida provisória de nº 1.039.

Se a razão que motivou o cancelamento permitir contestação, o registro do cidadão será reanalisado pela Dataprev e o trabalhador poderá voltar a receber, caso seja aprovado o pedido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Desculpe, mas você não pode copiar o conteúdo desta página.