08/12/2021

Brasil receberá vacinas da Janssen com vencimento em 27 de junho

Ministério da Saúde terá de 10 a 14 dias para receber, distribuir e aplicar as doses da vacina da Janssen que chegarão ao Brasil na próxima terça-feira (15/6). A primeira remessa do imunizante belga terá 3 milhões de doses, mas vai expirar em 27 de junho, segundo informação do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass). 

Nossas Rádios

A aprovação emergencial da Janssen foi feita pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no fim de março. Ao todo, serão 38 milhões de doses a serem entregues até dezembro.

Cada dose custará US$ 10 (R$ 55) ao governo federal. A vacina tem nível de proteção de 85% em casos graves e 66% em casos moderados e leves. Recentemente, a Agência de Alimentos e Medicamentos (FDA) dos Estados Unidos informou que é eficaz contra a variante sul-africana.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, havia informado na semana passada que a fabricante antecipou a entrega de 3 milhões ao Brasil para junho, mas não explicou que o prazo de validade expiraria tão rápido. 

Só uma dose 

Diferentemente dos demais imunizantes, a vacina da Janssen requer a aplicação só de uma dose. A CoronaVac, a AstraZeneca e a Pfizer exigem duas doses para a completa imunização. 


“Estamos organizando com o Conass e Conasens a estratégia de distribuição dessa vacina. A principal característica dessa vacina é que ela é dose única, então, sendo dose única, são 3 milhões de brasileiros a mais imunizados de forma completa contra a Covid-19”, explicou Queiroga. 

Vacinas contra COVID-19 usadas no Brasil

Oxford/Astrazeneca

Produzida pelo grupo britânico AstraZeneca, em parceria com a Universidade de Oxford, a vacina recebeu registro definitivo para uso no Brasil pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). No país ela é produzida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

CoronaVac/Butantan

Em 17 de janeiro, a vacina desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan no Brasil, recebeu a liberação de uso emergencial pela Anvisa.

Janssen

A Anvisa aprovou por unanimidade o uso emergencial no Brasil da vacina da Janssen, subsidiária da Johnson & Johnson, contra a COVID-19. Trata-se do único no mercado que garante a proteção em uma só dose, o que pode acelerar a imunização. A Santa Casa de Belo Horizonte participou dos testes na fase 3 da vacina da Janssen.

Pfizer

A vacina da Pfizer foi rejeitada pelo Ministério da Saúde em 2020 e ironizada pelo presidente Jair Bolsonaro, mas foi a primeira a receber autorização para uso amplo pela Anvisa, em 23/02.

Como funciona o ‘passaporte de vacinação’?

Os chamados passaportes de vacinação contra COVID-19 já estão em funcionamento em algumas regiões do mundo e em estudo em vários países. Sistema de controel tem como objetivo garantir trânsito de pessoas imunizadas e fomentar turismo e economia. Especialistas dizem que os passaportes de vacinação impõem desafios éticos e científicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Desculpe, mas você não pode copiar o conteúdo desta página.