28/11/2021

Calheiros diz que CPI será “cruzada contra a agenda da morte”

Ao assumir o cargo de relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 no Senado, o senador Renan Calheiros (MDB-AL) prometeu uma apuração “árida e acidentada, mas exitosa”. Ele se comprometeu a exercer com isenção seu trabalho de elaborar o parecer da comissão.

Rádio Aquárius – Teletemas

Calheiros ainda assegurou que não se comportará como a operação Lava Jato – que o investigou e, na avaliação dele, tomou decisões sem provas contra todos os investigados.

“A CPI, alojada em uma instituição secular e democrática, que é o Senado da República, tampouco será um cadafalso com sentenças pré-fixadas ou alvos selecionados”, apontou o senador.

“Não somos discípulos de Deltan Dallagnol, nem de Sergio Moro. Não arquitetaremos teses sem provas ou powerpoints contra quem quer que seja. Não desenharemos o alvo para depois disparar a flecha. Não reeditaremos a República do Galeão”, continuou.

O parlamentar garantiu que, como relator, vai se pautar pela isenção e imparcialidade, independentemente de “valorações pessoais”.

“A investigação será técnica, profunda, focada no objeto que justificou a CPI e despolitizada. É impossível esquecer todos os dias fúnebres em mais de um ano de pandemia, mas é impossível apagar abril, o mês mais mortal, e o dia 6 de abril, com uma morte a cada 20 segundos. Esses números superlativos merecem uma reflexão, merecem um minuto de silêncio”, disse.

“Nenhum expediente tenebroso das catacumbas do Santo Ofício será evocado”, apontou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Desculpe, mas você não pode copiar o conteúdo desta página.