22/10/2021

Clubes têm acordo para fundar Liga para o Brasileiro e comunicam CBF

Os clubes da Série A levaram para a CBF um documento com um acordo para fundar uma liga para organizar o Brasileiro. O encontro será na tarde desta terça-feira. A informação foi confirmada por dois dos times. Assinaram 19 dos 20 clubes da Série A, com exceção do Sport que não tinha um presidente presente.

“Comunicar a decisão da criação imediata de uma liga de futebol no Brasil que será fundada com a maior brevidade e que passará a organizar e desenvolver economicamente o Campeonato Brasileiro de Futebol Além dos clubes signatários, os clubes da Série B serão convidados a integrar a liga”, diz o comunicado assinado pelos clubes.

A queda do presidente da CBF, Rogério Caboclo, afastado por uma acusação de assédio sexual a uma funcionária, levou os clubes a iniciarem um movimento para ocuparem espaços de poder. No momento, a entidade é gerida pelo Coronel Nunes, vicepresidente mais velho. Participam da gestão os outros sete vices-presidentes.

Houve uma reunião entre os presidentes de clubes prévia a um encontro na CBF. Neste encontro, foram discutidas duas pautas principais: uma era a questão da participação no poder dentro da CBF e outra era a criação de uma liga. Foi acordado pelos 19 presidentes de clubes presentes que fundariam uma liga.

Só não assinou o documento o Sport entre os times da Série A. Além disso, outra pauta é a reivindicação de que os clubes tenham participação igualitária na eleição da CBF, já que atualmente seus votos têm peso menor do que as federações.

Uma mudança estatutária feita pelas federações determinou que as entidades têm peso três na eleição para presidente da CBF, clubes da Série A têm peso dois e os times da Série B, peso um.

Com isso, as federações podem estabelecer uma maioria em torno de uma candidatura sem necessidade de um acordo com os clubes. Afinal, as entidades estaduais têm 81 votos no total, contra 60 dos times. Em seu comunicado, os clubes exigem que a CBF estabeleça a igualdade de votos entre os clubes e federações.

Ou seja, que cada um tenha peso um na eleição. Além disso, cobram a queda da cláusula de barreira pela qual uma chapa precise ter apoio de oito federações para ser inscrita. Com isso, os clubes poderiam eleger o presidente da CBF sem necessitar das federações. A questão é que o estatuto da CBF dá à entidade e às federações pleno poder sobre esse tipo de regra.

Pelo artigo 12 do estatuto, a CBF tem a exclusividade na organização de competições nacionais. Pelo artigo 24, só assembléia administrativa, composta por federações, pode mudar o estatuto e aceitar ligas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Desculpe, mas você não pode copiar o conteúdo desta página.