23/10/2021

Em culto, Bolsonaro volta a questionar a eficácia das vacinas contra COVID

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a questionar a eficácia das vacinas contra o novo coronavírus. Depois de ir a um culto em Anápolis-GO, nessa quarta-feira (9/6), o presidente cumprimentou apoiadores e comparou os imunizantes a medicamentos do chamado “tratamento precoce”, que não têm eficácia cientificamente comprovada contra a COVID-19.

Nossas Rádios

“(Remédios do chamado tratamento precoce) não têm comprovação científica. E eu pergunto: a vacina tem comprovação científica ou está em estado experimental ainda? Está (em estado) experimental”, disse.

Com a afirmação, o presidente contradisse vários estudos de eficácia sobre vacinas e ignorou os imunizantes que receberam o aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que passaram por análises de segurança, qualidade e eficácia.

Bolsonaro também insistiu que o Brasil tem subnotificação de casos e mortes por COVID-19 ao citar relatórios do Tribunal de Contas da União (TCU). “Se retirarmos as possíveis fraudes, teremos em 2020, sim, o país, o Brasil, como aquele com menor número de mortos por milhão de habitantes por causa da COVID-19”, comentou.

O presidente afirmou, nessa segunda-feira (7/6), durante conversa com apoiadores no Palácio do Planalto, que um relatório do TCU mostrava que 50% das mortes por COVID-19 no Brasil em 2020 foram, na verdade, por outras doenças.

No mesmo dia, o TCU negou a existência de tal documento.
O caso levou ao afasmento do auditor Alexandre Costa, autor de um estudo paralelo sobre COVID-19, com informações consideradas falsas. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Desculpe, mas você não pode copiar o conteúdo desta página.