27/11/2021

Mariana Ximenes chega aos 40 sem crise, novo namorado e um desejo:‘Viver imersa em amor e leveza’.

Segundo os astros, Mariana Ximenes é uma taurina de ascendente em Touro. Mas não só isso. Nascida às 7:32 do dia 26 de abril de 1981, a atriz tem outros importantes planetas em signos do elemento Terra como seu sol: lua em Capricórnio e Vênus em Virgem. Para quem não entende ou não liga muito para o assunto, entenda como se o universo tivesse pegado a atriz e fincado seus pés em solo firme, de difícil erosão ou absorção. Seria até difícil imaginá-la no campo das artes, com tanta racionalidade em cena.

Rádio Aquárius – Teletemas

Não fosse a moça atenta aos próprios chamados e uma buscadora de alternativas para equilibrar o pensamento e as coisas do coração, talvez sua porção terrena não fosse regada pela delicadeza com a qual sempre procurou encarar a vida. Nesta segunda-feira, 26, Mariana chega aos 40 anos caminhando nessa ponte entre razão e sensibilidade. “Eu não sei o que esperar dos 40… Nem sei se quero ‘esperar’ algo. Para minha vida, quero viver imersa em amor, leveza, inteireza e vibrar por um mundo mais igualitário, mais justo”, diz a atriz, que engatou um namoro com o empresário e fotógrafo Victor Collor durante a pandemia.

A atriz Mariana Ximenes chega aos 40
A atriz Mariana Ximenes chega aos 40 Foto: Giselle Dias

Direto ao ponto, como os 40 estão chegando para você?

De uma forma curiosa, porque eu tive tempo para dar uma reavaliada em tudo. E o tempo abre espaço para a ressignificação. Costumo brincar que não me importo porque sei que “emoções eu vivi”, como canta o mestre Roberto Carlos — aliás aniversariante desse mês também! Mas a chegada está vindo de forma bonita, em paz.

Você passou por alguma crise na chegada de datas redondas?

Não tive uma grande crise. Mas tive momentos emblemáticos. Eu me separei aos 28/29, depois de 8 anos de relacionamento, por exemplo, e foi duro. Reaprender a estar sozinha. Mas eu estava em busca disso, por isso o movimento. Morar sozinha, viajar sozinha, tomar decisões… Amei fazer 30! Tomar as rédeas da sua própria vida é fundamental.

A vida de nós mulheres é pautada por muitas cobranças. Aos 20, queremos o mundo, aos 30, o mundo tem uma urgência contra nós… O que esperar dos 40?

Nesse período de recolhimento resolvi também cuidar mais de mim. Segui os conselhos de minha “mãe” Claudia Raia e foquei na saúde em todos os campos. Essa pandemia trouxe tantos pensamentos, trouxe uma vontade maior de nos conectarmos com o essencial, com os afetos verdadeiros, ampliarmos nosso olhar, nossa escuta e ter ainda mais cuidado com os outros.

Você se viu refém dessas cobranças para ser “supermulher”?

Sempre existirão cobranças. A diferença é como elas afetarão você. De acordo com o seu fortalecimento interno, clareza de quem você é, confiança na sua identidade. você não se desestabiliza nem se deixa rotular.

Victor Collor, fotógrafo, empresário e namorado da atriz Mariana Ximenes
Victor Collor, fotógrafo, empresário e namorado da atriz Mariana Ximenes Foto: reprodução/ instagram

Antes da pandemia, você voltou a morar em São Paulo. Logo depois, veio a “infinitena” e estava morando com sua mãe. Voltar para casa da mãe após tanta independência e, ao mesmo tempo, viver num panorama de isolamento trouxe o que a vocês? Teve a parte dos arranca-rabos também?

Adorei “infinitena“, nunca tinha ouvido. Vou pegar esse termo para mim (risos)! Os jornalistas sempre escrevem equivocadamente em relação a isso. Eu não fui morar na casa da minha mãe. Quando rolou o início da pandemia, eu peguei minha mãe e a trouxe para minha casa em São Paulo. Foi ótimo, porque eu tinha saído de casa com 17 anos. Então, foi um lindo resgate, um aprofundamento do laço. Sobre “arranca-rabos”… Ah, briguinhas são saudáveis, né? Normal. Até porque, às vezes discordamos uma da outra. Isso traz evolução. A maturidade trouxe o saber ouvir, analisar, argumentar com delicadeza, reconhecer o erro, buscar aprender…

Durante 2020, você gravou uma parte da novela, depois se reinventou de forma online, voltou a gravar, e esteve em reprise como Tancinha. Imagino que tenha sido aquela pausa para se rever também. Ficou mais fácil se ver em cena?

Sobre rever Tancinha, eu amei! Foi gostoso poder relembrar os colegas maravilhosos, a equipe, as situações que eu vivi durante as gravações. Eu costumava ser muito crítica, mas tenho aprendido a embarcar nas histórias de peito aberto. Que bom que a gente muda, né?! A personagem era uma delícia: leve, divertida, amorosa, batalhadora, justa… Era uma novela gostosa de assistir, que valorizava muito os laços familiares. Eu ainda tive a oportunidade de “vivê-la” um bocadinho, porque regravamos uma cena ano passado, depois de cinco anos dela adormecida em mim. Foi maravilhoso! Como eu gostava do jeitinho dela! “Ma eu me amava ela viu?!”

De dois ou três anos para cá, você passou a fazer muita publicidade nas redes sociais. Como se adequou a isso, era uma resistência artística não fazer da rede algo comercial também?

As redes sociais se abriram como um portal muito potente de comunicação, as marcas compreenderam isso e os artistas também. Tão bom poder se comunicar com os fãs, por exemplo. Eu recebi um presente que me emocionou muito: um livro sobre os meus 40 anos, revisitando personagens, com referências detalhadas a tudo que eu gosto. Uma delicadeza! Fiquei extremamente emocionada. Acabou virando um meio eficaz dos novos tempos e que conecta pessoas e interesses de forma muito rápida.

Há uma frase que diz que: “O artista tem vergonha de ganhar e falar sobre dinheiro”. Você tem?

O que vem na frente do nosso trabalho é o querer, o desejo insano de viver aquele personagem, de contar aquela história, independentemente de qualquer coisa. A gente é movida por emoção, eu sou assim total! Mas é justo que todo o trabalho tenha uma remuneração.

Em uma entrevista, você contou que congelou seus óvulos. Está mais latente hoje a vontade de ser mãe ou saber que tem uns óvulos guardadinhos te deixam mais serena para decidir quando?

Sim, acaba deixando uma tranquilidade maior, porque temos a tecnologia a nosso favor.

Você encararia a produção independente?

Não sei…

Começar uma relação durante a pandemia, no que hoje se chama “novo normal” está te ensinando o quê?

Tudo é possível, mas é preciso regar a plantinha do amor todos os dias.

A atriz Mariana Ximenes chega aos 40
A atriz Mariana Ximenes chega aos 40 Foto: Giselle Dias

Como consegue equilibrar de forma tão harmônica razão e emoção?

É um trabalho diário para deixar a intuição fluir. Faço terapia, meditação, procuro fazer retiros para processos de autoconhecimento. Minha profissão me ajuda muito nesse aspecto, porque a gente precisa ter os instintos aguçados e ouvidos atentos para interpretar e deixar a emoção entrar em ação. Então, é trazer isso para a vida pessoal: conexão direta da tal da razão com o coração.

Como se imagina nos próximos 40 anos?

Nossa, não tenho ideia… Mas quando eu olho para a Fernanda Montenegro, fico querendo ter aquela vitalidade, sabedoria, aquele pulsar para a vida que ela tem!

A atriz Mariana Ximenes chega aos 40
A atriz Mariana Ximenes chega aos 40 Foto: Giselle Dias

RE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Desculpe, mas você não pode copiar o conteúdo desta página.