28/11/2021

Olha a treta: três novelas que tiveram atores expulsos por conta de brigas nos bastidores

Todo trabalho, independente de ser no ramo artístico ou não, é o mesmo que um casamento. Um trato é feito com o objetivo de que os profissionais envolvidos garantam que continuarão em acordo até que o projeto chegue ao fim, com uma certa estabilidade no processo.

Contudo, ao longo do percurso, nem sempre as coisas andam conforme o planejado. E é por isto que, neste ranking, você vai saber quais novelas tiveram polêmicas que quase colocaram tudo a perder e a solução para estes desencontros, por sua vez, foi dizimar a existência dos personagens matando-os:

Pátria Minha (1995)

O relacionamento problemático entre Vera Fisher e Felipe Camargo quase colocaram tudo a perder na época de Pátria Minha. A novela de Gilberto Braga estava se tornando uma grande dor de cabeça porque os atores, integrantes do elenco do folhetim, não conseguiam deixar de fora dos sets os problemas pessoais, e o clima nos bastidores era tenso. Portanto, foi por causa disso que a Globo tomou uma decisão drástica de retirá-los da novela, inventando um incêndio no qual os personagens dos dois atores morriam.

Felipe Camargo e Vera Fisher em Pátria Minha (Foto: Divulgação)

Cara e Coroa (1996)

Neste caso, foi o diretor que esteve sendo alvo das polêmicas. Wolf Maya estava comandando Cara e Coroa na época e havia um boato o qual indicava que o diretor tinha ciúmes do namorado de Maitê Proença, o ator Victor Fasano. Foi aí, então, que a boataria tomou conta das capas de revistas.

Proença resolveu deixar a novela. Para solucionar a questão, foi gravada uma cena em que a personagem interpretada pela atriz morre ao cair de um penhasco. Vale lembrar que o boato se confirmou anos depois em declarações que Maitê Proença deu publicamente. 

Maitê Proença (Foto: Divulgação)

Páginas da Vida (2006)

O ator global Antonio Calloni deu muita dor de cabeça para a equipe da novela Páginas da Vida. Relatos dão conta de que ele fazia reclamações constantes sobre o andamento da produção, direcionando maior parte de suas críticas ao diretor Jayme Monjardim. Foi assim que seu personagem, o Gustavo, foi simplesmente morto, como forma da novela resolver o problema que Calloni estava dando.

Antonio Calloni (Foto: Reprodução)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Desculpe, mas você não pode copiar o conteúdo desta página.