22/10/2021

Preconceituoso, Enrico surpreenderá o público no último capítulo; relembre o final do personagem

Desde que descobriu que Cláudio (José Mayer) é gay e tem um caso com Leonardo (Klebber Toledo), mesmo casado com Beatriz (Suzy Rêgo), Enrico (Joaquim Lopes) colocou para fora todo o seu preconceito existente contra homossexuais na reprise de Império, ao viver em pé-de-guerra com o próprio pai.

Só para se ter uma ideia, ele chegou a agredir um durante sua despedida de solteiro, após uma tiração de sarro dos amigos, e também o amante do produtor de eventos, assim que o encontrou na rua depois de ter saído endiabrado do local.

Veja também: resumo dos próximos capítulos de Império

Além disso, o ex-patrão de Vicente (Rafael Cardoso) até se recusou a comparecer em seu casamento com Maria Clara (Andréia Horta), fato este que o fez abandoná-la no altar. Depois disso, ele, então, ficou “sem chão”, perdeu o restaurante em que trabalhava e o grande amor da sua vida, que passará a se relacionar com o ex de Cristina (Leandra Leal).

Enrico apresenta Laureta à família (Foto: Reprodução)

No entanto, após algum tempo, o personagem de Joaquim Lopes viajará para a Itália e passará uma temporada por lá, até que conhecerá Laureta, uma mulher negra nascida no Brasil e criada na Itália, que será interpretada pela atriz Eli Ferreira, e voltará casado com ela para o Brasil. Na ocasião, ele a apresentará para os pais, se mostrará arrependido de tudo o que fez no passado e ainda deixará de lado sua homofobia.

“Eu é que tenho que pedir perdão. Agora, e sempre, mil vezes. Por ter sido tão idiota, mau-caráter, ignorante. Eu tinha medo. Não encontrava em mim a alma aberta para aceitar você, nem quem é diferente de mim. Fui vítima do meu egoísmo, pai, da minha insegurança. E fiz mal a você e a tanta gente”, declarará o rapaz, reconhecendo o erro.

No mais, Enrico também chegará a se desculpar com Leonardo: “Leonardo, eu te peço perdão, perdão por tudo. Acho que estava cego, doente de preconceito… Enfim, não existe desculpa para as minhas atitudes. Eu devia ser um caso perdido, mas aí aconteceu aquilo com o meu pai e eu vi o quanto você é um cara legal. Humano, parceiro, amigo. E por alguns minutos, longos minutos, esqueci que você era gay. Esqueci do quanto você me incomodava, incomodou durante tanto tempo… Eu transcendi a qualquer informação a seu respeito, e vi o quanto você é, antes de tudo, uma pessoa de valor”, comentará.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Desculpe, mas você não pode copiar o conteúdo desta página.