27/11/2021

Pressão faz governo voltar a falar sobre a prorrogação do Auxílio: “estamos atentos”

O Governo Federal está sofrendo muita pressão para anunciar logo a prorrogação do novo Auxílio Emergencial. No entanto, ainda não há um prazo para esse anúncio. Nesta segunda-feira, o Ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que o Planalto está atento neste momento.

“Estamos atentos à pandemia, podemos estender o auxílio emergencial se a pandemia resistir ao nosso programa de vacinação em massa, mas sabemos também que temos de manter o compromisso fiscal, apenas os gastos relacionados à pandemia estarão fora do teto de gastos”, disse ele.

O Governo Federal está resolvendo esperar mais um pouco para saber se o ritmo da vacinação vai aumentar nas próximas semanas. Se isso acontecer, então eles afirmam que uma prorrogação não seria mais necessária. Isso porque as pessoas poderiam voltar a trabalhar.

No entanto, autoridades de saúde afirmam que a vacinação não tem o poder de diminuir o número de contaminações e de mortes de uma só vez. Mesmo países que estão em um processo avançado de vacinação, estão reabrindo os serviços com cautela.

É que de acordo com essas autoridades, a vacinação exige paciência. Isso porque se sabe que o imunizante protege o cidadão que se vacina, mas não se sabe qual é o poder dessa mesma dose para evitar contaminações. Então mesmo após a vacinação, a dica segue sendo evitar aglomerações. Pelo menos em um primeiro momento.

Olho na vacina

Essa não é a primeira vez que Paulo Guedes aposta pesado na vacinação em massa no Brasil. No final do ano passado, o Ministro da Economia disse em mais de uma oportunidade que o país não precisaria de mais uma rodada do Auxílio Emergencial porque a vacinação iria acabar diminuindo os efeitos da pandemia.

No entanto, o ritmo dessa vacinação no país segue lento. E o pior aconteceu. De acordo com as autoridades de saúde, as aglomerações acabaram dando vida pra novas variantes da doença, que se espelharam pelo país e levaram o Brasil para o pior momento da pandemia.

Diante deste cenário, o Governo se viu na obrigação de pagar mais quatro parcelas do benefício. Logo depois da aprovação na Câmara e no Senado, o dinheiro passou a chegar no bolso de cerca de 39 milhões de brasileiros. E deverá seguir assim até o próximo mês de julho.

Prorrogação do Auxílio

Parlamentares do grupo político conhecido como Centrão estão fazendo pressão para que o Governo anuncie logo uma prorrogação. E eles querem que o Planalto estique o programa, pelo menos, até o próximo mês de novembro. No entanto, a ordem dentro do Ministério da Economia é esperar.

Caso a prorrogação aconteça de fato, o país iria precisar adiar os planos do novo Bolsa Família. De acordo com o Ministro da Cidadania, João Roma, a ideia é deixar esse programa pronto para fazer os primeiros pagamentos no próximo mês de agosto.

No entanto, se o Auxílio passar por uma prorrogação até novembro, então o novo Bolsa Família teria que entrar em cena apenas em dezembro. O Governo está fazendo várias reuniões para tentar chegar em um denominador comum sobre esse assunto. No entanto, até agora não se sabe quando eles devem chegar em uma resposta sobre isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Desculpe, mas você não pode copiar o conteúdo desta página.