22/10/2021

Vídeo: narrador e comentarista chamam cabelo de jogador de “pesado” e “imundo”

Um narrador e um comentarista de futebol da Rádio Bandeirantes Goiânia provocaram revolta nas redes sociais após declarações racistas direcionadas a um meio de campo do Londrina, em partida contra Goiás, pela série B do Campeonato Brasileiro, no sábado (17/7). Os dois se referiram ao cabelo do jogador com expressões como “pesado demais”, “bandeira de feijão” e “negócio imundo”.

Aos 22 minutos da partida, o meia Celsinho se envolveu em um choque com outro jogador e caiu. Em seguida, o narrador Romes Xavier, que também é apresentador do Serra Dourada Esportes, da afiliada do SBT em Goiânia, diz: “Tomou uma pancada ali. Tá levantando. O cabelo deve pesar demais, né, Vinícius?”, pergunta para o comentarista.

Em seguida, Vinicius Silva responde: “Exatamente, rapaz. Parece mais uma bandeira de feijão, né, Romes, a cabeça dele do que é um verdadeiro cabelo? Não é porque eu já estou perdendo os cabelos que eu vou achar um negócio imundo desse bonito. Parece mesmo bandeira de feijão”, disse.

Narrador Romes Xavier e o comentarista Vinicius Silva
“Arrependimento”

Após provocarem revolta dos internautas, o dois se viram pressionados a se manifestar sobre mais um episódio de racismo no futebol. Em novas publicações nas redes sociais nesta madrugada, eles tentaram amenizar o impacto de suas declarações, chamando-as de “comentário infeliz”, sem admitir a prática de racismo.

“Demonstro todo arrependimento pelo comentário infeliz que tive durante a transmissão de Goiás e Londrina no estádio da Serrinha, fazendo referência ao meio-campista da equipe do Londrina”, disse o comentarista.

Comentarista pede desculpas

Vinicius Silva também afirmou que a repercussão o fez pensar sobre “comentários e brincadeiras exageradas”. “O fato é que entrei em contato com o Celsinho, demonstrando todo arrependimento, pedindo desculpas ao jogador, à família do jogador e a todos do Londrina por esse comentário infeliz”, disse.

O narrador, por sua vez, também demonstrou arrependimento. “Peço desculpas ao Celsinho e ao Londrina Esporte Clube pelo comentário infeliz na transmissão sobre o cabelo do meia. Colocações erradas que jamais deveriam ter sido ditas. Quem me acompanha sabe o quanto sou crítico sobre condutas como essa. Peço perdão. Quem nunca errou?”, escreveu.

Repúdios em série

Nas redes sociais, o Londrina repudiou as declarações do comentarista e do narrador. “É inadmissível e lamentável, veemente, que tais comunicadores, formadores de opinião, propaguem atos de racismo! Em verdade, o racismo é inadmissível em qualquer situação, lugar, fala, e deve ser lutado diariamente, por todos!”

De acordo com a nota de repúdio do Londrina, Romes Xavier e Vinícius Silva “caçoaram do cabelo do meio campista: “Com certeza as medidas serão tomadas, contudo, cabe a nós entender que não basta não ser racista, é necessário ser antirracista!”, publicou o Londrina.

O Vasco da Gama também reprovou o episódio. “Inadmissível! Racismo é crime e não deve ser tolerado! Repudiamos qualquer ato racista desde o início de nossa história e seguimos lutando por isso! Muita força ao Celsinho. Estamos juntos diariamente nessa luta!”, publicou o time, em seu perfil nas redes sociais.

Um grupo ligado ao time que disputou a partida contra o Londrina também se manifestou. “Nós da central Goiás repudiamos veementemente as falas racistas do narrador Romes Xavier e do comentarista Vinicius Silva. Estamos juntos @LondrinaEC, basta! Não há mais espaço para o racismo, nem no futebol e nem na sociedade em geral!”, publicou.

Cobrado por internautas para se posicionar sobre o episódio, o time Goiás Esporte Clube não se manifestou até o momento em que o portal Metrópoles, responsável pela matéria, publicou esta reportagem. Por isso, continua alvo de inúmeras críticas de internautas e torcedores, nas redes sociais.

A Rádio Bandeirantes de Goiânia também publicou nota de repúdio, dizendo que a transmissão foi realizada pela Equipe Feras do Esporte, com a qual trabalha em regime de parceria. No contrato, é vedado qualquer tipo de atitude racista ou preconceituosa por parte dos colaboradores da rádio.

“As expressões utilizadas pelos repórteres durante a transmissão do jogo não refletem, sob nenhuma hipótese, a opinião e o posicionamento da Rádio Bandeirantes Goiânia, que tem as suas premissas pautadas no respeito ao ser humano, na lisura e imparcialidade da informação”, disse a nota de repúdio.

A Rádio Bandeirantes de Goiânia também publicou nota de repúdio, dizendo que a transmissão foi realizada pela Equipe Feras do Esporte, com a qual trabalha em regime de parceria. No contrato, é vedado qualquer tipo de atitude racista ou preconceituosa por parte dos colaboradores da rádio. “As expressões utilizadas pelos repórteres durante a transmissão do jogo não refletem, sob nenhuma hipótese, a opinião e o posicionamento da Rádio Bandeirantes Goiânia, que tem as suas premissas pautadas no respeito ao ser humano, na lisura e imparcialidade da informação”, disse a nota de repúdio.

A Equipe Feras do Esporte informou que os profissionais foram afastados de suas funções e que não coaduna “com qualquer atitude racista, homofóbica ou algo relacionado”, como ocorreu no comentário deles.

No entanto, disse ter “convicção de que ambos não o fizeram por maldade e nem com intenção de ofender o atleta. Contudo, apesar de entendermos seus argumentos, achamos melhor afastá-los de suas funções dentro da equipe”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Desculpe, mas você não pode copiar o conteúdo desta página.